Pular para o conteúdo principal

Poeta Elizeu Moreira Paranaguá lança Silêncio da Pedra do Caos neste sábado na Bahia

O poeta Elizeu Moreira Paranaguá lançará seu terceiro livro de poemas, Silêncio da Pedra do Caos, no próximo sábado, dia 3 de agosto, às 10 horas da manhã. O evento vai acontecer na Sala Walter da Silveira, na Biblioteca Pública do Estado, que fica na rua General Labatut, 27, no bairro Barris, em Salvador, Bahia.

Em Silêncio da Pedra do Caos, publicado pela editora Multifoco, Elizeu Moreira Paranaguá, o Conde dos Lajedos, continua a demonstrar os traços da sua poética filosófica e metafísica. O livro traz pareceres de críticos e escritores significativos da cena literária baiana: Cid Seixas, Germano Machado, Maria da Conceição Paranhos e Mayrant Gallo.

Para Germano Machado “Elizeu Moreira Paranaguá pensa a poesia na filosofia e a filosofia na poesia. Silêncio da Pedra do Caos mostra às claras um poetizar denso e forte, a caminho de um alargamento , a descida ao fundo, ao profundo, à fundação”. Já Mayrant Gallo afirma que "Elizeu Moreira Paranaguá nos anuncia que ainda há céu e que a poesia é o seu alfabeto”. Elizeu Moreira Paranaguá (1963), filho de mãe camponesa e pai militar. É natural de Castro Alves/BA. É poeta, escultor, roteirista, livre pensador e produtor cultural. Estudou filosofia, religião, astrologia e política. Fez teatro e teste no Esporte Clube Bahia para ser jogador profissional. Tem ensaios publicados em revistas e jornais. Idealizador e coordenador dos projetos Imagem do Verso e Expressão da Poesia. Começou a publicar nos anos oitenta no Diário Oficial da Bahia. Foi editor, ao lado de Germano Machado e José Inácio Vieira de Melo, da revista de Arte e Literatura – CEPA/Poesia. Tem poemas publicados na revista de arte, crítica e literatura Iararana. Participou das antologias Lume e Sinfonia Poética (Editoração CEPA – Salvador, 1987), Sete Cantares de Amigos (Edições Arpoador – Salvador, 2003) e Concerto Lírico a Quinze Vozes – uma coletânea de novos poetas da Bahia (Aboio Livre Edições, Salvador, 2004). Publicou os livros Poema Terra Castro Alves (Editoração CEPA, 1992) e O Fogo do Invisível (Coleção Selo Editorial Letras da Bahia, 2006).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vem aí o Segundo Festival Cultural e Concurso Literário do Sarau da Onça

O II Festival de Arte, Cultura e Concurso Literário Sarau da Onça foi aprovado no edital Setorial de Literatura da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). “O projeto tem patrocínio do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia”.

O Sarau da Onça divulgará em 10 de janeiro de 2017 um edital que visa selecionar dois poemas de cinquenta autores de Salvador nas categorias: Poesia (quarenta textos de 25 linhas, no máximo) e Conto (dez textos de no máximo 25 linhas) e consequente publicação em 5000 exemplares de uma antologia, sem custo para os participantes, que receberão cinco exemplares cada um, a título de direitos autorais.

Além do concurso literário, serão oferecidas oficinas de teatro, dança, Hip Hop, criação literária, que vão ser ministradas por membros do Sarau da Onça e convidados, com carga horária de quatro horas aos sábados ou domingos, com apresentação de mostras ao final do festival, num grande encontro n…

Geraldo Vandré: Homenagem e reflexão

Por Dava Silveira*

Geraldo Vandré completa 81 anos em 12 de setembro e a questão da ditadura militar parece mais atual do que nunca. 

Estando a história do compositor entrelaçada com esse período da história do Brasil, resolvi selecionar um trecho do meu livro para ilustrar uma das heranças do golpe de 1964: “Geraldo Vandré exemplifica como ninguém os conflitos vividos pelo artista engajado dos anos 60. Influenciado pelas propostas do Centro Popular de Cultura, que pregava a “ida ao povo”, também convivia com a nova forma de articulação da indústria cultural com a música, tornando-a dependente de uma dinâmica mercantil que escapava ao seu controle.

Mas o compositor de “Caminhando” ilustra também o drama pelo qual passaram aqueles que se exilaram após a promulgação do AI-5 e que, ao retornarem, encontraram um país bem diferente. As transformações políticas, econômicas e culturais, provocadas pelo permanente controle do AI-5, tornaram possível a consolidação da indústria cultural, mudando,…

“Santa Leitura” recebe convidados especiais neste domingo e lança concurso de redação

O evento agita a Praça de Santa Tereza e contagia todos que passam por lá No próximo domingo, dia 21 de agosto, o projeto “Santa Leitura”, segue levando cultura, entretenimento e alegria para a praça Duque de Caxias, em Santa Tereza (Praça de Santa Tereza), a partir das 10h, agora no terceiro domingo do mês.

Neste domingo o projeto “Santa Leitura”, que recebeu recentemente o prêmio “Por um Brasil de Leitores”, do Instituto Imersão Latina, receberá as ilustres presenças da escritora e contadora de histórias, Helenice Matias e do cantor Guilherme Mendes, participante do The Voice Kids Brasil. Também neste domingo será lançado o concurso “Vamos falar do Santa Leitura”, onde os frequentadores poderão participar enviando um texto com sua visão sobre o projeto. Três textos serão selecionados e premiados posteriormente. O prazo para entrega dos textos é até dia 18 de novembro de 2016 e o resultado final e premiação serão no dia 18 de dezembro de 2016.


CONCURSO:  VAMOS FALAR DO SANTA LEITURA…