Pular para o conteúdo principal

Poetas e poemas classificados para o próximo livro Nós da Poesia: vozes da rua

CONFIRA A LISTA DE POETAS E POEMAS CLASSIFICADOS PARA O PRÓXIMO LIVRO "NÓS DA POESIA - VOZES DA RUA" QUE ESTÁ EM FASE DE EDIÇÃO. TODOS OS CONTEMPLADOS RECEBERÃO E-MAIL INFORMANDO O PROCEDIMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA.

AGRADECEMOS A TODOS OS QUE ENVIARAM POEMAS. RECEBEMOS CENTENAS DE TEXTOS DE VÁRIAS PARTES DO BRASIL E DE OUTROS PAÍSES. COMO A ANTOLOGIA É DE APENAS 120 PÁGINAS E FOI COLOCADO UM TEMA, PRECISAMOS DEIXAR DE FORA ALGUNS, INFELIZMENTE, O QUE NÃO IMPOSSIBILITA A PARTICIPAÇÃO EM OUTRAS PUBLICAÇÕES DO IMERSÃO LATINA.

* Alexandre Miguel da Silva:
Poema...BANDEIRA.
* Andréa de Azevedo Milanez:
Poema... Ditadores do cotidiano.
* Antonio Montes:
Poemas... Ateus da fé - Fim - O Carnaval
* Avelin Rosana:
Poemas...Akaiê e Nahui - Bordunas da Noite - Comissão da verdade em todo lugar...
* Bernardo Rodrigues:
Poema... Ao senhor daquela rede de televisão.
* Brenda Marques:
Poemas...Canto da terra insurgente - Itinerário dos exilados
O "Nós" de cada um.
* Carla Oliveira:
Poemas... Audio Guide - O Rock errou - Deposite aqui seu título.
* Cris Estevão:
Poema... Tempos atrás
* Daniel de Culla/España:
Poema... Imi niño, que monada!

* Else Dorotea:
Poemas... O tempo e a praça - Sarau no paço
Aos poetas do século vinte e um.
* Euler Campos:
Poema... Eu falo do meu lugar.
* France Gripp:
Poema... Cinquenta vezes te desconjuro.
* Gilson Moura Castro:
Poema...O esperar, o que receber.
* Guido Campos:
Poema... Silencioso protesto
* Helenice Maria Rocha:
Poema... Ode das mães das ruas.
* João Manuel Lourenço Pereira:
Poema...Procurados, desaparecidos.
* Luana Maria Cavalcanti:
Poema... Outros tempos, não me cale.
* Lúcio Toscano Lobo Vitor:
Poema... O poder das Palavras.
* Márcio Fazenda:
Poema... sem título
* Maria Gabriela Saldanha Nunes:
Poemas... Carta de agonia - A exclusão que recruta
* Marcão Aborígine:
Poemas... O silêncio da violência - In-Cômodo
O camburão e a sala da aula.
* Márcia Kambelra ( destaque indígena )
Poemas... Palavra do povo Omágua - Minha identidade -
Resistência Kokama.
* Olga Valeska:
Poemas... Manhã - Violência - Guerra
* Paulo José ( Pajo )
Poemas... "Anos de chumbo" - Ainda hoje é possível ouvir.
* Paulo de Tárcio Andrade Nogueira:
Poema... A exclusão que recruta.
* Pedro Du Bois :
Poema... Envenenar
* Pilar Rodríguez Aranda/ México
Poema... sem título
* Raimon Alves;
Poema... Nenhum Clarão
* Rosangela Ferris:
Poemas... Quando o dia se fez noite - Noite interminável
Tortura...nunca mais!
* Zé Abreu:
Poemas... Uma rua na minha cidade - ruas

* Vicente Ferrer:
Teatro (poema em 3 atos)

Comentários

  1. Olá! Tudo bem? Eu gostaria de saber se o pagamento pode ser dividido em duas vezes. Como é? Apenas um pelo valor de 300 reais?

    Att,
    Alexandre
    http://inverso-mente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma viagem à memória de Penedo por Zurica Peixoto

“Se imagino, vejo. Que mais faço eu se viajo? Só a fraqueza extrema da imaginação justifica que se tenha que deslocar para sentir.” 
FERNANDO PESSOA (1888 – 1935)  Rio de Janeiro, junho de 1940.
Acometida de forte gripe, moléstia importuna, cacete, que me retém em casa, esclusa e sem poder sair, sinto-me isolada, qual prisioneira que estivesse a cumprir sua pena. Aborrecida, sem saber o que fazer, tomo ao acaso os jornais vespertinos, cheios de escandalosos cabeçalhos. De relance, corro os fatos do dia, as crônicas sociais... São inúmeros os programas dos cinemas e teatros. Há reclames e mais reclames das festas juninas nos clubes e cassinos. Jogo à distância os jornais. Tudo me enfastia nesta noite. Em casa, quase todos saíram. A solidão deixa-me ainda mais aborrecida e entediada... Por que diabos inventaram a doença, principalmente quando se é moço?...

Passeio em volta da sala de estar. Ando para lá e para cá, num vaivém contínuo. Detenho-me ao rádio e ligo, indiferentemente, na es…

Sesc Palladium promove edição especial do Digas! Poesia Falada com o espetáculo “Garganta ao Vivo"

Espetáculo inédito se originou do LP de poesia falada “Garganta”, que reúne poemas de 20 celebrados autores contemporâneos. Com entrada gratuita, a apresentação poderá ser conferida no dia 19 de abril, às 20h. 
No próximo dia 19 de abril, quarta-feira, o Sesc Palladium promove uma edição especial do seu projeto Digas! Poesia Falada, com o espetáculo de poesiaGarganta ao Vivo. A montagem se originou do LP “Garganta”, documento sonoro em vinil que apresenta uma amostra da poesia contemporânea brasileira, reunindo trabalhos de alguns dos principais autores surgidos nos últimos 20 anos. Inédito e sem previsão de reapresentações, o espetáculo poderá ser conferido às 20h, no Grande Teatro do Sesc Palladium. Entrada gratuita, com retirada de ingresso 2h antes da sessão.
Em 2016, um grupo de poetas brasileiros se uniu para prensar um disco de vinil com poesia falada, buscando reavivar a tradição de LPs de poesia brasileira. O disco, denominado Garganta, lançado numa parceria da Embolacha com a …

Nós da Poesia prepara nova edição. Participe até 15 de janeiro de 2018!

A próxima antologia Nós da Poesia (volume 6) terá como tema Va...idades / Van...idades(falará sobre a passagem do tempo, memória e valorização da vida). 

Participe enviando 4 poemas ou prosas poéticas. As inscrições estão abertas de hoje 15/10/2018 a 15/01/2018. 

Basta enviar seus textos em português ou espanhol para o e-mail: nosdapoesia@gmail.com. 

Participe e concorra a prêmios de publicação para os 3 primeiros colocados e de edição cooperativa para 30 participantes. A publicação é organizada pelo Instituto Imersão Latina.