Pular para o conteúdo principal

Imersão Latina celebra o amor no Terças Poéticas


Há dez anos o Imersão Latina começou sua trajetória unindo pesquisadores, artistas, jornalistas, sociólogos, educadores, poetas, contadores e criadores de uma história que se escreve com muito ativismo cultural. Para celebrar esta data, o Terças Poéticas, projeto de curadoria do poeta Wilmar Silva, que também fez uma década recebe a poetisa Brenda Marques Pena, idealizadora do Imersão Latina, no dia 3 de novembro, às 19 horas, no Teatro João Ceschiatti, do Palácio das Artes (avenida Afonso Pena, 1537 - Centro, Belo Horizonte).


 “Depois que a gente passa por uma jornada de dez anos de uma organização nascida no mês das crianças descobre que o amor é o combustível necessário tanto para nascer as idéias e os projetos como para elas seguirem. E assim os 10 anos do Imersão Latina estão sendo celebrados sempre com muita poesia. Afinal, acreditamos em uma poética que permeia todas as artes”, aponta Brenda Marque Pena, presidente do Instituto Imersão Latina (Imel), poetisa, autora de Poesia Sonora: histórias e desdobramentos de uma vanguarda poética.

Nesta Terças Poética especial, Brenda Marques Pena, que também é performer estará apresentando o passaporte poético, livro-objeto: Utopias Possíveis, lançado em Buenos Aires e no Uruguai e que agora lançado pela primeira vez no Brasil, nesta data de aniversário do Imel. Também participarão desta celebração alguns poetas convidados que fazem parte do coletivo Nós da Poesia. A banda Cáustica também fará participação especial com performance poético-musical. 

Amar só por amar toda a gente

E para celebrar o amor aos povos da América Latina e de todos os poetas que nos inspiram a caminhada do Imersão Latina, a poetisa Florbela Espanca será homenageada. Afinal, ela soube em seus versos com profundidade falar desse amor por tudo e todos, como expressa seu poema:

Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

Estes versos da poetisa portuguesa Florbela Espanca serão cantados e tocados pelo compositor e músico Marcos Assumpção, um carioca, mas mineiro de trajetória artística, afinal, toca mais em Minas do que no Rio de Janeiro. Ele tem participado do Imersão Latina em lançamentos do Nós da Poesia: vozes da Rua na bienal do livro de São Paulo e também na Associação Mineira de Imprensa, em Belo Horizonte.

Esta última antologia organizada pelo Instituto Imersão Latina também será apresentada no projeto Terças Poéticas. Vamos colocar expostas poesias do projeto Criança Não É Brinquedo, de crianças, agora já adolescentes, que escreveram versos antes dos 12 anos. Estes poemas foram publicados nas quatro antologias Nós da Poesia até hoje publicadas. E afinal, ainda que com dez anos, o Imel ainda é uma criança, que gosta da ciranda da vida e de brincar dos versos, que defende sempre o que é diverso! A entrada é gratuita, mas quem quiser levar um livro infantil ou um brinquedo, faremos a doação para crianças da comunidade Flor do Cascalho, no morro das Pedras, que o Imersão Latina tem apoiado, realizando projetos em parceria com o Centro de Arte e Cultura Flor do Cascalho, da ONG Sou Angoleiro.

Serviço:

Imersão Latina 10 anos no Terças PoéticasEspetáculo poético musical com Brenda Marques, presidente do Imel e poetas convidados, com lançamento do livro-objeto: “Utopias Possíveis”.
Homenagem a Florbela Espanca por Marcos Assumpção, compositor e escritor, autor de canções e de um espetáculo em homenagem à escritora portuguesa.
03/11/2015 às 19 horas, no Teatro João Ceschiatti, Palácio das Artes
(avenida Afonso Pena, 1537 - Centro, Belo Horizonte).

Entrada franca.

Brenda Marques Pena (Jornalista, editora e gestora cultural)
Graduada em Comunicação Social no Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH), com pós graduação na mesma instituição em Jornalismo e Práticas Contemporâneas. Mestre em Letras: Literatura e Outros Sistemas Semióticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com curso de formação em Gestão e Desenvolvimento da Cultura (Fundação Clóvis Salgado/Instituto Pensar e Agir com a Cultura). Jornalista, poeta e fotógrafa com mestrado em Literatura e outros sistemas semióticos pela UFMG. Presidente do Instituto Imersão Latina, É editora da Rede Minas de Televisão, Diretora de Comunicação da Associação Internacional de Poetas por Minas Gerais. Representante do Movimento Cultural Abrace. Foi consultora de Projetos do Grupo Neoplan, de Consultoria e Marketing e trabalha no desenvolvimento de projetos culturais nas mais diversas áreas, com destaque para a produção fotográfica da série de livros: Imagens de Minas. Autora de Poesia Sonora: Histórias e Desdobramentos de uma Vanguarda Poética (Tradição Planalto Editora: 2009) e organizadora da antologia Nós da Poesia, já na quarta edição. Possui textos em antologias nacionais e internacionais editadas em Brasília, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Uruguai. É acadêmica correspondente da Real Academia de Letras, cadeira 12: Lygia Clark (patronesse). Medalha de Bronze no Prêmio Carlos Drummond de Andrade CBM e no I Festival de Cultura Popular. Participou da Bienal Internacional do Livro do ano 2000 de São Paulo pela Alba Editora. Apresentou performances poéticas no Brasil, Cuba,  Estados Unidos, França,  Argentina e Uruguai. E como pesquisadora no Chile, México e  Venezuela. Foi a idealizadora e apresentadora dos programas CurtAgora na TV Universitária de Belo Horizonte e do Minas Popular Brasileira (MPB) na rádio Comunitária FM Lagoinha. Também foi repórter do programa Rockambole da 98 FM e redatora da Revista Rock News e dos sites A Escola, Citylink e do COFECON. Trabalhou por 5 anos na TV Alterosa. Como baterista e letrista, gravou dois CDs com a Caution, banda revelação 2008 do Prêmio GRC Music e um com a banda Cáustica (Prêmio Mineiro de Música Independente 2015). É fundadora e integrante do grupo Corpo-língua de performance cênica. Prêmio Excelência Cultural ABD 70 anos – Associação Brasileira de Desenho e Artes Visuais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vem aí o Segundo Festival Cultural e Concurso Literário do Sarau da Onça

O II Festival de Arte, Cultura e Concurso Literário Sarau da Onça foi aprovado no edital Setorial de Literatura da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). “O projeto tem patrocínio do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia”.

O Sarau da Onça divulgará em 10 de janeiro de 2017 um edital que visa selecionar dois poemas de cinquenta autores de Salvador nas categorias: Poesia (quarenta textos de 25 linhas, no máximo) e Conto (dez textos de no máximo 25 linhas) e consequente publicação em 5000 exemplares de uma antologia, sem custo para os participantes, que receberão cinco exemplares cada um, a título de direitos autorais.

Além do concurso literário, serão oferecidas oficinas de teatro, dança, Hip Hop, criação literária, que vão ser ministradas por membros do Sarau da Onça e convidados, com carga horária de quatro horas aos sábados ou domingos, com apresentação de mostras ao final do festival, num grande encontro n…

Geraldo Vandré: Homenagem e reflexão

Por Dava Silveira*

Geraldo Vandré completa 81 anos em 12 de setembro e a questão da ditadura militar parece mais atual do que nunca. 

Estando a história do compositor entrelaçada com esse período da história do Brasil, resolvi selecionar um trecho do meu livro para ilustrar uma das heranças do golpe de 1964: “Geraldo Vandré exemplifica como ninguém os conflitos vividos pelo artista engajado dos anos 60. Influenciado pelas propostas do Centro Popular de Cultura, que pregava a “ida ao povo”, também convivia com a nova forma de articulação da indústria cultural com a música, tornando-a dependente de uma dinâmica mercantil que escapava ao seu controle.

Mas o compositor de “Caminhando” ilustra também o drama pelo qual passaram aqueles que se exilaram após a promulgação do AI-5 e que, ao retornarem, encontraram um país bem diferente. As transformações políticas, econômicas e culturais, provocadas pelo permanente controle do AI-5, tornaram possível a consolidação da indústria cultural, mudando,…

“Santa Leitura” recebe convidados especiais neste domingo e lança concurso de redação

O evento agita a Praça de Santa Tereza e contagia todos que passam por lá No próximo domingo, dia 21 de agosto, o projeto “Santa Leitura”, segue levando cultura, entretenimento e alegria para a praça Duque de Caxias, em Santa Tereza (Praça de Santa Tereza), a partir das 10h, agora no terceiro domingo do mês.

Neste domingo o projeto “Santa Leitura”, que recebeu recentemente o prêmio “Por um Brasil de Leitores”, do Instituto Imersão Latina, receberá as ilustres presenças da escritora e contadora de histórias, Helenice Matias e do cantor Guilherme Mendes, participante do The Voice Kids Brasil. Também neste domingo será lançado o concurso “Vamos falar do Santa Leitura”, onde os frequentadores poderão participar enviando um texto com sua visão sobre o projeto. Três textos serão selecionados e premiados posteriormente. O prazo para entrega dos textos é até dia 18 de novembro de 2016 e o resultado final e premiação serão no dia 18 de dezembro de 2016.


CONCURSO:  VAMOS FALAR DO SANTA LEITURA…