Pular para o conteúdo principal

O poeta e professor Luiz Lyrio é o nosso homenageado


O Terças Poéticas do dia 21 de junho terá o lançamento Nós da Poesia, uma antologia organizada por Brenda Marques Pena pelo IMEL, que conta com a participação de 40 autores da América Latina, além da homenagem a Luiz Lyrio, autor de Nos idos de 68. Os poetas Clevane Pessoa, Cláudio Márcio, Bilá Bernardes, Ênio Poeta, e Pâmilla Ribeiro participam do encontro que acontece às 18h30, nos Jardins Internos do Palácio das Artes, com entrada franca.

Biografia de Luiz Lyrio

Natural de Belo Horizonte, Luiz Paulo L. Araújo, viveu a sua infância na década de 50, tendo começado a se interessar por política já nos chamados “anos dourados”. Dessa época, guarda ainda as lembranças de alguns fatos históricos (suicídio de Getúlio, governo de Juscelino, Revolução Cubana) e de discussões políticas dos adultos, que ouvia com interesse todo especial.
Na escola, recebeu formação e informações importantes de alguns de seus professores mais politizados. Fez o antigo ginásio durante a primeira metade da década de 60, tendo recordações bem vivas dos grandes debates sobre as reformas de base e do golpe de 64.

Iniciou efetivamente sua militância política no 2º grau, quando estudava no Colégio Estadual Central no Santo Antônio. Nessa época (66, 67 e 68), foi membro destacado do movimento secundarista e chegou a ter seu nome cogitado para participar de uma das chapas que disputaria a diretoria da UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas). No final de 68, afastou-se do movimento, desiludido com a fragmentação das esquerdas naquele momento decisivo para o movimento estudantil.
Em 1970, passou no vestibular do Premen e, em 1971, fez o curso de curta duração de História, disciplina que escolheu por favorecer um trabalho mais efetivo de conscientização política dos estudantes. Em abril de 1972, começou sua carreira de professor, lecionando inicialmente na Escola Polivalente do Barreiro. Iniciou, então, nos duros anos de repressão e censura que se sucederam, um discreto trabalho político-pedagógico.

Em 1973, transferiu-se para a Escola Polivalente de Barbacena e lecionou em vários outros estabelecimentos de ensino naquela cidade e em cidades próximas. Em 1977, criou e dirigiu o Politeatro, grupo de teatro da Escola Polivalente de Santos Dumont. Em 1979, teve participação destacada na greve dos professores que deu origem à criação do Sind-UTE, coordenou o movimento em Barbacena e Santos Dumont e percorreu cidades próximas, ajudando a consolidar a greve.

Freqüentou a faculdade (FAFICH-UFMG) numa época de refluxo do movimento estudantil e concluiu o curso de licenciatura plena de História. Em 1983, participou de todas as fases do Primeiro Congresso Mineiro de Educação. Neste grande evento, defendeu os direitos dos educadores e lutou pela democratização das escolas e por eleições diretas para diretor de estabelecimento de ensino público. Nos anos 80, redescobriu os grêmios estudantis e realizou um trabalho de incentivo e assessoria às lideranças que se destacavam nas escolas em que lecionava. A partir desse trabalho, tomou consciência da necessidade de um material sintético, porém mais completo e mais didático do que os disponíveis até a época, e que auxiliasse aqueles que quisessem organizar e manter funcionando grêmios estudantis em suas escolas. Iniciou, então, um trabalho de pesquisa que culminou com a edição do livro “Grêmio Livre: Um Exercício de Cidadania”.

Em 1995 e 1996, apoiado pelo Departamento de Educação da Administração Regional Oeste da PBH, começou a divulgar de seu trabalho, com a promoção de debates em várias escolas, participação em um encontro de estudantes da Regional e a divulgação seu livro no Congresso do SIND-UTE, realizado em Varginha.
Em 1998, com o apoio das varias entidades, inclusive da UMES-BH e do SINPRO-MG, lançou a segunda edição de seu livro. Em 1999, produziu e lançou uma fita de vídeo sobre os grêmios.

A partir daí, intensificou sua ação em prol do crescimento do movimento secundarista por meio de palestras, mini-cursos e seminários, e ministrou , em novembro de 1999, o relato de experiência “O Grêmio Estudantil: Um Exercício de Cidadania”, no Centro de Referência do Professor da Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais.
Entre 2000 e 2010, várias de suas crônicas foram publicadas no Jornal O TEMPO. Entre 2002 e 2008, colaborou com o Jornal O ESPIGÂO, do bairro Caiçara em Belo Horizonte.
Em 2002, lançou, em parceria com escritores mineiros e de outros estados, ESTALO, o tablóide, jornal que deu origem a ESTALO, a revista, publicação literária destinada a divulgar o trabalho de autores independentes, que circulou até 2006. Ainda em 2002, participou do X Encontro de Diretores Pedagógicos e Especialistas em Educação dos Colégios Tiradentes, proferindo palestra sobre o tema “GRÊMIO ESTUDANTIL”.

Durante o ano de 2003, desenvolveu, na Escola Municipal Agenor Alves de Carvalho, o PROJETO BANDEIRA BRANCA, que culminou com uma semana de debates sobre a violência em geral e a violência nas escolas. O evento contou com o apoio do CAPE, da SMED e da Regional Nordeste da PBH. Em 2004, publicou os livros NOS IDOS DE 68 e MARCAS DE BATOM. Em 2005, foi agraciado com o Prêmio Destaque no V Concurso Rubem Braga de Crônicas, com a crônica ALICE NO PAÍS DAS ARMADILHAS. No ano seguinte, ficou em 6º lugar no Concurso Fliporto de Contos (Porto de Galinhas – PE) com o conto “Para Que Caminhar?”, editado nos Anais do Festival de Literatura de Porto de Galinhas de 2006.

Em 2007, publicou o livro ABDUÇÃO, teve seu conto CORPO FECHADO selecionado no VI Prêmio Literário Livraria Asabeça (São Paulo – SP) para publicação em antologia e ganhou MENÇÃO HONROSA no II CONCURSO CLAUDIONOR RIBEIRO DE CONTOS (Cachoeiro do Itapemirim – ES). Ainda em 2007, ganhou Menção Honrosa no 5º CONCURSO LITERÁRIO GUEMANISSE DE CONTOS E POESIAS, teve seu conto PASSAGEM DE ANO publicado em 2008 no livro ELOS E ANELOS da Editora Guemanisse (Teresópolis – RJ), e recebeu menção honrosa no XII Concurso de Poesias, Contos e Crônicas, promovido pela ALPAS XXI (Cruz Alta – RS). Em 2008, a Mazza Edições publicou uma segunda edição de seu livro NOS IDOS DE 68. Em 2009, publicou, pela “LivroPronto Editora”, seu livro de contos ENTRE A MORTE E A VIDA e ganhou prêmio destaque no VI Concurso Rubem Braga de Crônicas. Em 2010, foi jurado do Concurso Literário 2os Jogos Florais do Século XXI. Neste mesmo ano, foi agraciado com Menção Honrosa no VI Concurso Newton Braga de Poemas, promovido pela Academia Cachoeirense de Letras.

Aposentado como professor em 2008, Luiz Lyrio é representante do Movimento Abrace em Aracaju-SE, cidade na qual reside atualmente, Embaixador da Paz pelo Cercle Universel des Ambassadeurs de La Paix - Suisse/France, Membro Correspondente da Academia Cachoeirense de Letras (Cachoeiro do Itapemirim – ES) e Membro Correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni (ALTO).

Obras onde você encontra textos de Luiz Lyrio:

Grêmio Livre: Um Exercício de Cidadania – Luiz Paulo Araújo – Belo Horizonte, 1995.
Grêmio Livre: Um Exercício de Cidadania, 2ª Edição – Luiz Paulo Araújo – Belo Horizonte, 1998.
Nos Idos de 68 / Luiz Lyrio. – Belo Horizonte: Anome Livros, 2004.
Marcas de Batom/ Luiz Lyrio. Belo Horizonte: Edição: Estalo, a revista, 2004.
Estalo, a revista - Belo Horizonte - n° 1 a 5 - 2004-2005
Estalo, o tabloide - Belo Horizonte - n° 1 a 6 - 2oo1 - 2010
Revista da Academia Cachoeirense de Letras – Cachoeiro do Itapemirim, ES, 2005.
Revista da Academia Cachoeirense de Letras – Cachoeiro do Itapemirim, ES, 2006.
Anais da Fliporto 2006 – Recife, PE, 2006.
Revista da Academia Cachoeirense de Letras – Cachoeiro do Itapemirim, ES, 2007.
Abdução / Luiz Lyrio – R & S Gráfica e Editora – Belo Horizonte, MG, 2007.
VI Prêmio Literário Asabeça 2007: antologia: poesias, contos e crônicas. – São Paulo: Scortecci, 2008.
Revista da Academia Cachoeirense de Letras – Cachoeiro do Itapemirim, ES, 2008.
Elos e Anelos. Vol I. Teresópolis, RJ: Guemanisse, 2008.
Nos Idos de 68: Edição rememorativa do quadragésimo aniversário do ano bissexto em que os jovens se tornaram sujeitos da História e quase mudaram a trajetória do mundo / Luiz Lyrio. – Belo Horizonte : Mazza Edições, 2008.
Coletânea Deslizes: poesias, contos e crônicas / coordenação: Rozelia Scheifler Rasia; organizadoras: Alba Pires Ferreira, Ilda Maria Costa Brasil, Rozelia Sheifler Rasia. – Passo Fundo, RS – Berthier, 2008.
Galeria Brasil 2009: Guia de Autores Contemporâneos/Celeiro de Escritores. São Paulo, SP: Editora Sucesso, 2009.
Nós da Poesia / Brenda Marques Pena, organizadora. – São Paulo: All Print Editora, 2009.
Entre a Morte e a Vida / Luiz Lyrio. – São Paulo: LivroPronto, 2009.
Alma Brasileira: poemas / organizadora: Sandra Luzia Stabile de Queiroz, Salvador, BA, 2010.
Olhar Andarilho: Poesias, Contos e Crônicas / Organizado por Rozelia Scheifler Rasia e Alba Pires Ferreira - Porto Alegre; Alternativa, 2010.
Abrace Revista Internacional - Ano V - Nº 11 -março de 2010.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vem aí o Segundo Festival Cultural e Concurso Literário do Sarau da Onça

O II Festival de Arte, Cultura e Concurso Literário Sarau da Onça foi aprovado no edital Setorial de Literatura da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). “O projeto tem patrocínio do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia”.

O Sarau da Onça divulgará em 10 de janeiro de 2017 um edital que visa selecionar dois poemas de cinquenta autores de Salvador nas categorias: Poesia (quarenta textos de 25 linhas, no máximo) e Conto (dez textos de no máximo 25 linhas) e consequente publicação em 5000 exemplares de uma antologia, sem custo para os participantes, que receberão cinco exemplares cada um, a título de direitos autorais.

Além do concurso literário, serão oferecidas oficinas de teatro, dança, Hip Hop, criação literária, que vão ser ministradas por membros do Sarau da Onça e convidados, com carga horária de quatro horas aos sábados ou domingos, com apresentação de mostras ao final do festival, num grande encontro n…

Geraldo Vandré: Homenagem e reflexão

Por Dava Silveira*

Geraldo Vandré completa 81 anos em 12 de setembro e a questão da ditadura militar parece mais atual do que nunca. 

Estando a história do compositor entrelaçada com esse período da história do Brasil, resolvi selecionar um trecho do meu livro para ilustrar uma das heranças do golpe de 1964: “Geraldo Vandré exemplifica como ninguém os conflitos vividos pelo artista engajado dos anos 60. Influenciado pelas propostas do Centro Popular de Cultura, que pregava a “ida ao povo”, também convivia com a nova forma de articulação da indústria cultural com a música, tornando-a dependente de uma dinâmica mercantil que escapava ao seu controle.

Mas o compositor de “Caminhando” ilustra também o drama pelo qual passaram aqueles que se exilaram após a promulgação do AI-5 e que, ao retornarem, encontraram um país bem diferente. As transformações políticas, econômicas e culturais, provocadas pelo permanente controle do AI-5, tornaram possível a consolidação da indústria cultural, mudando,…

“Santa Leitura” recebe convidados especiais neste domingo e lança concurso de redação

O evento agita a Praça de Santa Tereza e contagia todos que passam por lá No próximo domingo, dia 21 de agosto, o projeto “Santa Leitura”, segue levando cultura, entretenimento e alegria para a praça Duque de Caxias, em Santa Tereza (Praça de Santa Tereza), a partir das 10h, agora no terceiro domingo do mês.

Neste domingo o projeto “Santa Leitura”, que recebeu recentemente o prêmio “Por um Brasil de Leitores”, do Instituto Imersão Latina, receberá as ilustres presenças da escritora e contadora de histórias, Helenice Matias e do cantor Guilherme Mendes, participante do The Voice Kids Brasil. Também neste domingo será lançado o concurso “Vamos falar do Santa Leitura”, onde os frequentadores poderão participar enviando um texto com sua visão sobre o projeto. Três textos serão selecionados e premiados posteriormente. O prazo para entrega dos textos é até dia 18 de novembro de 2016 e o resultado final e premiação serão no dia 18 de dezembro de 2016.


CONCURSO:  VAMOS FALAR DO SANTA LEITURA…